A história da criança judia que foi modelo da raça ariana


A fotografia de Hessy Taft, aquando bebé, foi selecionada pelo partido Nazi para ilustrar a criança ideal da raça ariana. Porém, o que a máquina de Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda do Reich, nunca descobriu foi que ela era judia.
Quando Hessy Taft tinha seis meses, era uma criança modelo nos posters nazis. A sua fotografia foi escolhida como a imagem do bebé ariano ideal e distribuída como propaganda. Recentemente, Taft apresentou o Memorial do Holocausto Yad Vashem, em Israel, onde, com uma revista nazi com a sua fotografia na capa, contou a história de como se tornou numa criança modelo improvável para um cartaz do Terceiro Reich.
 
foto DR
A história da criança judia que foi modelo da raça ariana
Hessy Taft em adulta e a famosa foto
 
"Agora posso rir-me", diz a Professora Taft, com 80 anos, em entrevista ao jornal alemão Bild. "Mas se os Nazis soubessem quem eu era realmente, não estaria viva".
Os pais de Hessy, Jacob e Pauline Levinsons, eram ambos talentosos cantores, que se mudaram para Berlim, vindos da Letónia, para prosseguir as carreiras na música clássica, em 1928. Mas acabram presos na ascensão do poder nazi.
Jacob perdeu o emprego numa companhia de ópera porque era judeu e teve de trocar de carreira, para vendedor porta-a-porta.
Em 1935, com a cidade repleta de ataques anti-semitas, Pauline Levinsons levou a filha, de seis meses, a um conhecido fotógrafo de Berlim. Poucos meses depois, a mãe ficou horrorizada ao descobrir que a foto da filha fazia a capa da "Sonne Ins Hause", uma revista nazi de grande popularidade.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=4002319&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+JN-ULTIMAS+%28JN+-+Ultimas%29 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS INJUSTIÇADOS – A CENSURA À MÚSICA BREGA NA DITADURA MILITAR

Relatos de um desastre anunciado

Resumo: África Pré-Colonial