Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Ofício das rezadeiras

Imagem
CRENÇA POPULAR Ofício das rezadeiras resiste mesmo com avanço da Medicina Cidades do sertão concentram ainda grande número de mulheres com essa habilidade
por José Avelino Neto - Colaborador Mariluza Pinheiro é uma das mais emblemáticas rezadeiras de Banabuiú. Com 74 anos, exerce a atividade para tratar de problemas como torções e rompimento de nervos no pescoço ( Fotos: José Avelino Neto )José Cordolino Dultra tem 79 anos e detém uma lucidez que impressiona. Na hora de pedir a saúde por meio da oração, então, a concentração é ainda maior Banabuiú. A professora Juliana Nara Cavalcante, 28, tem quatro filhos e todos eles, algum dia, já foram para uma das quase dez rezadeiras que ainda vivem neste Município da região central cearense. "Uma vez, a minha filha mais velha começou a vomitar e ficar com o corpo mole. Não tinha nenhuma reação. Minha irmã se desesperou dizendo que ela iria morrer. Eu levei para avó do meu esposo. Ela rezou duas vezes e a menina saiu de lá andando", rel…

PM “A perversão começa na formação”, diz ex-PM condenado

Imagem
Na penitenciária de Bangu, ex-soldado da PMERJ Rodrigo Nogueira Batista fala sobre cultura violenta da corporação, corrupção dos oficiais e o revanchismo entre policiais e criminosos por Agência Pública* — publicado 31/07/2015 04h21 Bel Pedrosa “Nenhum nenhum recruta sai do CFAP pronto para empunhar uma arma no meio da rua”, diz o ex-PM *por Ciro Barros Com quase dois metros de altura, mais de 100 quilos entre músculo e alguma gordura, o ex-soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro Rodrigo Nogueira Batista, de 33 anos, é um “monstro” como a gíria popular classifica os brutamontes do tamanho dele. A orelha esquerda estourada pelos tatames de jiu-jitsu e o nariz meio torto ajudam a compor a figura do ex-PM preso em Bangu 6 (Penitenciária Lemos de Brito). Essa prisão, destinada prioritariamente a ex-policiais, bombeiros, agentes penitenciários e milicianos, faz parte do Complexo Penitenciário de Bangu, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro. Preso desde novembro de 2009, Ro…

A farsa Olímpica e o Machismo;

Imagem
Transar: o pecado de Ingrid
As disputas do esporte feminino estão sempre em 2º plano. O importante é o flagra, o biquíni, a seleção de musas.
Uma matéria da Superinteressante indica que cada atleta deve transar seis vezes por dia durante a Olimpíada. São quase todos jovens, atléticos e bonitos no ápice da vida hormonal e esportiva em um lugar reservado só para eles, a Vila Olímpica. O que poderia ser mais natural? Historicamente, basta um sinal para que atletas tenham privacidade em seus quartos durante competições. Uma toalha branca pendurada na porta fechada indica: aqui dentro tem gente transando, favor não entrar. Um acordo tácito, todos obedecem. Isso desde os tempos de Garrincha — haja toalha! É verdade que muitos dos técnicos, metidos a durões, se recusavam a aceitar o sexo de seus comandados como natural. Acreditava-se que isso poderia atrapalhar o rendimento, mas hoje há vários estudos que provam o contrário. Décadas depois e alheios a comprovações científicas, surge o primei…

FEB 3 herois esquecidos do Brasil

Imagem